segunda-feira, 2 de novembro de 2009

As Misericórdias do Senhor

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim. Lamentações 3:22

As misericórdias do Senhor são inesgotáveis. Elas estão ao alcance da mão; ao alcance de quem precisa de perdão; ao alcance de todo pecador.

É por causa dessa “entranhável misericórdia de nosso Deus” (Lc 1:78) que temos esperança de salvação. A misericórdia é a demonstração prática e quase palpável do perdão que Deus concede ao pecador, unicamente por bondade e graça.

Entretanto, muitos de nós que nos consideramos cristãos e pretendemos estar nos preparando para a volta de Jesus, não estamos levando em consideração essa dádiva divina; estamos, por assim dizer, desperdiçando as misericórdias do Senhor. Não estamos fazendo caso delas. Não estamos desejosos, ou mesmo aflitos por elas. Não estamos clamando por elas como fez o publicano da parábola, quando em humildade e contrição, clamou: “Ó, Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” (Lc 18:13, ARC).

Será que não mais estamos sentindo necessidade das misericórdias de Deus? Por acaso não somos mais pecadores? Ou, talvez, estejamos satisfeitos com o desenvolvimento da igreja, com seu crescimento numérico, com as grandes e apresentáveis instituições; com a estrutura organizacional, a nossa boa reputação e as funções de liderança em todos os níveis da igreja?

Talvez não seja nada disso, e sim, por estarmos subestimando a constante e sutil pressão da sociedade sobre nós, tentando danificar-nos a sensibilidade espiritual e a religiosidade, procurando por todos os meios esmagar nossos princípios e propósitos, nosso sistema de vida e compromissos para com Deus e o semelhante, e as esperanças da eternidade.

Vamos reaprender a arte de clamar pela misericórdia divina! Vamos clamar “pela entranhável misericórdia de Deus” como membros do corpo de Cristo, como irmãos de fé, como líderes da igreja, como marido e mulher, como pais e filhos. Todos precisamos das misericórdias do Senhor porque, em última análise, nossa salvação é o grande clímax da eterna misericórdia de Deus em nosso favor.

REFLEXÃO: “Quanto a mim, porém, [...] confio na misericórdia de Deus para todo o sempre” (Sl 52:8).

Nenhum comentário:

Postar um comentário