terça-feira, 3 de novembro de 2009

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as
coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma"
I Coríntios 6.12 NVI (Nova Versão Internacional)


I Carta aos Coríntios (Não abuse da liberdade!)
Durante minha infância, freqüentemente passava as férias na fazenda com
meus tios e avós. Lá a rotina alimentar era bem diferente da que eu estava
acostumado na cidade. Café da manhã era entre cinco e seis horas da manhã,
o almoço entre nove e onze horas e a janta era por volta das dezoito horas. Os boiadeiros de lá gostavam de comer, logo no período da manhã, goiabada com
creme de leite. É um pouco estrato, mas tudo bem!
Eu sou de família muito simples, e mais simples ainda naquela época, e aquele
prato para mim era algo especial. O pessoal percebeu meu entusiasmo e me
deu a liberdade para comer a vontade. Imagine o aconteceu! É isso mesmo,
"eu comi a vontade" e exagerei, abusei da liberdade que me foi dada. A
conseqüência é obvia, aquele monte de doce me causou um desajuste
intestinal e não tive um dia muito legal. Eu abusei da liberdade que tive!
Você consegue fazer um uso sensato da liberdade que possui? Consegue
discernir o que é sensato ou não fazer? Sei que diferenciar o certo do errado
seguramente qualquer um sabe fazer, mas diferenciar o bom daquilo que é
muito melhor já não é tarefa para qualquer um. A liberdade que recebemos em
Cristo Jesus deve sempre considerar qual é a vontade de Deus. Abusar da
liberdade é negligenciar o Amor do Pai sobre nossas vidas!
Em várias cartas do apóstolo Paulo, ele ressalta que Deus nos deu a liberdade
(para vivermos em amor) quando ofereceu seu único Filho para pagar a dívida
que era nossa! Em Cristo vemos que não é mais necessário viver debaixo do
jugo da lei, mas ter como princípio das decisões o "Amor". A Lei do Amor,
segundo Jesus, deve prevalecer sobre todas as demais leis. Percebe?
A verdadeira liberdade não se traduz em viver sem fronteiras para o que der e
vier. A liberdade em Cristo Jesus é aquela que retira de nós os grilhões do
pecado e da condenação, é se ver livre daquilo que aprisiona como um vicio,
por exemplo! Essa liberdade em Cristo não nos permite praticar o pecado com
impunidade, como se estivéssemos isentos da condenação eterna. Na
ilustração acima temos um exemplo dos resultados de uma decisão desregrada
e imprudente. Pelo prazer do momento, me esbaldei no doce, sem considerar
os limites do meu organismo. Você é sensato em suas decisões? É o Amor de
Cristo quem pauta seu caminhar diário?
Veja, a vida é como um prato cheio de doces, e está diante de você! Você tem
a liberdade de decidir o que bem entender, mas lembre-se que o Senhor lhe
deu um parâmetro - Jesus Cristo. Existem fronteiras para o seu próprio bem!
Escolha andar como Jesus andou. Busque-O, e Ele lhe dará capacidade para
experimentar o que "é melhor". Viver nestas condições é ter vida com Deus
(liberdade cristã). Pense nisto.
Fonte: Hagton
www.umbet.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário