sábado, 26 de junho de 2010

O Panteísmo de Paulo Coelho


O Panteísmo é uma crença que identifica o universo com Deus. Em grego temos pan = tudo, Teos = Deus. Nesta semana na Revista do Globo havia uma matéria de Paulo Coelho sobre Hakone (Japão) e Copacabana. Uma daquelas tentativas do escritor de vender sua espiritualidade de prateleira de supermercado.

Em dado momento o texto sobre Hakone nos conta da cerimônia do chá realizada num pequeno quarto numa montanha maravilhosa. Lá uma mulher vestida a caráter serve o chá com todo os requisitos cerimoniais da tradição japonesa.

Paulo Coelho então tenta nos vender sua versão pop do Panteísmo: a montanha, o chá, a mulher de quimono, os participantes, suas imperfeições cotidianas, tudo isto é trazido para um copo só. E neste copo Coelho afirma que tudo se torna um com o Universo - nos transportando para Deus.

O que este tipo de mensagem tem feito à mente das pessoas? Destaco aqui algumas coisas: uma desvalorização da pessoa única de Deus, que é pessoa, concreta e nunca abstrata; a desvalorização da pessoa de Cristo como caminho que nos conduz ao Criador. Podemos ser conduzidos por uma xícara de chá, uma montanha ou um quimono japonês.

Finalmentea desvalorização da pessoa e obra do Espírito Santo de Deus, o Deus que habita nos homens e os convence de caminhos e rotas que precisam ser trilhadas para honrar a santidade do Altíssimo.

O panteísmo muitas vezes convive com a imagem de um Deus que é tudo somando-se a existência de diversos deuses menores que somados formam um deus único ou consciência única. Uma idéia que fascina pois não obriga o homem a render-se diante de alguém maior que si.

Nosso olhar a cultura não deve ser somente de rejeição e crítica, mas de reflexão e busca de possíveis caminhos para redenção.

Graça e paz, sempre.

FONTE:http://marcusviniciuscomenta.blogspot.com/2010/05/o-panteismo-de-paulo-coelho.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário