domingo, 22 de agosto de 2010

Similaridades entre Vanusa e o eleitor brasileiro.





A cantora Vanusa protagonizou mais uma cena de esquecimento desmedido. Se não bastasse ter esquecido o hino nacional numa solenidade da Assembléia Legislativa de São Paulo em 2009, a estrela da Jovem Guarda, se atrapalhou mais uma vez durante uma apresentação. Em um evento de comemoração do Dia dos Pais no Parque do Idoso, em Manaus, no dia 6 de agosto, Vanusa esqueceu a letra de Sonhos de um palhaço, composta por Antônio Marcos, um clássico de seu repertório.

Caro leitor, ao saber do esquecimento da cantora Vanusa confesso que foi impossível com que não pensasse naqueles eleitores que a cada quatro anos não se recordam do passado dos nossos "gentis" politicos.

Pois é, por acaso você já se deu conta que brasileiro tem memória curta? Já percebeu que existe um bocado de gente que esqueceu do confisco do nosso dinheiro feito por Collor de Mello, dos desvios do dinheiro público, dos escândalos do INSS, dos anões do orçamento, da adulteração do painel do Senado, do mensalão, da compra de votos por parlamentares, da máfia da sanguessuga, do castelo construído por parlamentar, do escândalo das passagens aéreas, dos panetones distribuidos no natal, dos jabás adquiridos, além de dezenas de outros escândalos mais.

Prezado amigo, o Brasil tem vivido nos últimos anos uma curva ascendente de maracutáias onde políticos corruptos movidos por uma avassaladora ganância, tem se locupletado do dinheiro público enriquecendo desenvergonhadamente. Lamentalvemente as primeiras páginas dos jornais têm estampado quase que diariamente escândalos políticos de primeira linha. Essa sucessão de escândalos, significativos em seu conjunto, ajuda a criar uma cultura de crescente desconfiança nos cidadãos, aos quais tem gerado consequências funestas e contraproducentes, bem como o descrédito da sociedade quanto a capacidade do poder público de fazer o bem comum.

Infelizmente o povo brasileiro esqueceu rapidamente das falcatruas e roubalheiras promovidas pelos "bondosos políticos", até porque, bastam dois ou três anos no máximo, para que através das urnas reconduzamos os que nos extorquíram de volta ao poder.
Que Deus nos conceda sabedoria em 03 de outubro e que o povo brasileiro escolha com coerência seus representantes públicos.

Renato Vargens


Nenhum comentário:

Postar um comentário