segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Televangelista Silas Malafaia rebate carta de evangélicos do PT

Mas acaba defendendo um dos que assinaram a carta que mentiu sobre PT e aborto

Julio Severo
Por ter sido uma dos milhares de pessoas que ajudaram a divulgar o famoso vídeo do Pr. Paschoal Piragine, o televangelista Silas Malafaia recebeu uma carta dos evangélicos do PT.
No vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI), Piragine mostra as iniquidades que o PT vem promovendo e pede que o público evangélico não vote no PT.
Em sua carta a Malafaia, os evangélicos do PT contradizem as palavras de Piragine, tentando provar que o PT não é pró-aborto.
A resposta de Malafaia, que está neste link (http://www.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/pg_noticias.cfm?cod_materia=291), foi excelente, mas é difícil dizer que ele acertou quando disse:
Esclareço também que sou amigo pessoal de Walter Pinheiro. Em duas eleições passadas, eu o ajudei. Já o citei várias vezes em meu programa de TV como exemplo de cristão na política. Ele tem a liberdade de usar a minha imagem na sua campanha, o que permito de maneira muito restrita a pouquíssimos candidatos.
A carta “evangélico-petista” a Silas, a qual negou as acusações contra o PT, foi assinada também por Walter Pinheiro.
Malafaia soube refutar muito bem as inverdades da carta sobre PT e aborto, mas acabou ficando estranho e incoerente ele elogiar um dos evangélicos petistas que validaram o conteúdo mentiroso da carta.
Se Pinheiro fosse realmente metade do que Silas afirmou, ele assinaria a carta? Ele defenderia um partido político acima de seu testemunho em favor de Cristo?
Se o PT promove iniquidades como o aborto e o homossexualismo, por que Pinheiro negou essa realidade, dando falso testemunho?
“Quem dá falso testemunho não ficará impune, e quem profere mentiras não escapará.” (Provérbios 19:5)
Um dos Dez Mandamentos proíbe dar falso testemunho. Será que evangélicos do PT têm alguma isenção especial que lhes permite não se submeter aos Dez Mandamentos?
Será que vale a pena sacrificar nosso testemunho por Cristo em troca de um falso testemunho a favor de um partido que inegavelmente vem promovendo o aborto e o homossexualismo?
O único erro de Silas foi dizer:
“[Walter Pinheiro] tem a liberdade de usar a minha imagem na sua campanha, o que permito de maneira muito restrita a pouquíssimos candidatos.”
Malafaia tem hoje uma influência grande e inegável sobre o público evangélico, mas a imagem dele na política nem sempre esteve ligada a figuras políticas íntegras.
Em 2002, apesar de todos os sinais espirituais e terrenos claros e inconfundíveis do perigo da ideologia de Lula, Malafaia lhe emprestou seu nome como apoio público, ajudando a influenciar o povo evangélico a colocar no poder o governo de iniquidades que impera no Brasil hoje.
Nos anos eleitorais seguintes, o nome e a imagem de Silas continuaram atrelados a políticos comprometidos com iniquidades, inclusive Sergio Cabral, que se tornou o infame governador do Rio que parece não ter outra preocupação na vida além do aborto e da sodomia.
Ninguém sabe se essa ligação do nome dele com esses promotores de iniquidade foi feita por negociações e interesses financeiros, como é o caso de muitos outros líderes evangélicos, que vendem seu testemunho e integridade em troca de favores políticos.
Não há dúvida, porém, de que Silas deveria cuidar melhor do seu nome e imagem, realmente “permitindo de maneira muito restrita a pouquíssimos candidatos”. Tal atitude prudente poderia livrar o público evangélico de votar em tipos oportunistas como Lula, Sergio Cabral e evangélicos do PT que se dizem homens de Deus, mas assinam cartas negando a natureza pró-aborto, pró-sodomia e pró-marxismo do PT.
Para alcançar esse alvo, Silas Malafaia precisa da oração de todos aqueles que o admiram. Oremos também para que ele possa desafiar os evangélicos do PT a assumirem uma posição por Jesus Cristo: Se é difícil para eles permanecerem no PT sem mentir, que eles saiam do PT, pois o verdadeiro seguidor de Jesus deve viver na Luz, não nas trevas.
O Pr. Piragine aconselhou a não se votar em candidatos do PT, e ele tem toda razão. Se por um lado há os petistas que defendem o aborto e o homossexualismo (e não dá para dizer que eles são minoria), por outro há os petistas evangélicos que juram de pés juntos que o PT não tem esse direcionamento imoral e escrevem cartas de apoio ao partidão deles.
Na verdade, a carta dos evangélicos do PT ao Silas foi apenas uma carta padrão, preparada por Geter Borges, ex-secretário geral do MEP, Movimento Evangélico Progressista. Essa mesma carta já havia sido disponibilizada ao público evangélico, inclusive para o Pr. Paschoal Piragine, e eu a refutei no meu blog no artigo “A fúria dos batistas ofendidos”, que se encontra neste link: http://juliosevero.blogspot.com/2010/09/furia-dos-batistas-ofendidos.html
Sem demora, a assessoria do Dep. Gilmar Machado, líder do governo Lula e um dos assinantes da carta padrão ao Silas, entrou em contato comigo, pedindo direito de resposta.
Minha resposta para a assessoria dele — resposta que vale para Walter Pinheiro e todos os evangélicos do PT, e também para Silas Malafaia e até para mim mesmo — foi:
Gostaria que você agora não pensasse no PT e na sua função no PT. Você já parou para pensar que a fim de dar um bom testemunho às vezes precisamos sacrificar tudo?

Já pensou em perder salário, posição e emprego unicamente por amor a um bom testemunho?

Falo de sacrifício de tudo porque sei o que é isso. Desafio você a sacrificar tudo para Jesus. E, se for possível, converse com o irmão Gilmar. Ele errou. O comunicado que ele fez foi público. O pecado dele foi público.

Diga a ele que chegou a hora de sacrificar tudo para ganhar bênçãos que procedem somente de Deus.

O povo de Deus está confuso. Se o irmão Gilmar der um passo a frente renunciando ao PT e à sua ideologia unicamente por amor a Jesus, isso será um grande testemunho para Jesus.

Mas isso implica em perder TUDO. Você está disposto a isso? Ele está disposto a isso?
Julio
Outra alternativa, que serve apenas para cristãos maduros, seria um carta padrão dos evangélicos do PT dizendo:
Reconhecemos a realidade de que o PT é a favor do aborto e do homossexualismo. Mesmo assim, permaneceremos no partido a fim de fazer uma diferença e tentar mudá-lo.
Essa alternativa não é perfeita, mas é muito melhor do que dar falso testemunho.
Repasse este texto a todos os seus contatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário