domingo, 21 de novembro de 2010

PAIS E FILHOS




Pra. Rebeka Pagliarini

As Escrituras dizem que muitos pecam por não conhecerem a verdade. Muitas vezes a verdade está diante de nossos olhos, mas estamos cegos e não conseguimos enxergá-la. Muitas vezes nos pequenos detalhes temos errado, e assim, criado situações de tristeza, sem ao menos conseguirmos localizar esta falha para a sanarmos.

O pecado entrou no mundo através do relacionamento de Adão e Eva, ou seja, na primeira família formada por Deus. Por isso, ao meu coração veio um desejo muito forte de analisar, à luz da palavra de Deus, o relacionamento familiar entre pais e filhos. Talvez muitos possam compartilhar comigo desta descoberta, porque, afinal, todos já fomos filhos e se ainda não somos, seremos pais.

Tudo tem início em um mandamento do Senhor, uma palavra deixada pelo Espírito Santo ao apóstolo Paulo que diz:

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra a teu pai e tua mãe – que é o primeiro mandamento com promessa – para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoquei à ira a vossos filhos, mas criai-os na disciplina e instrução do Senhor”. (Efésios 6:1-4)

Para completar estes mandamentos, lemos ainda no livro de Colossenses 3:23:

“Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, pois isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo.”

Parece algo muito simples, mas que na maioria das vezes não acontece, principalmente se não conhecemos a palavra claramente. Quando o Senhor nos diz que devemos ser obedientes aos nossos pais, ele não diz que devemos somente obedecer a todas as suas vontades, mas ele está dizendo que devemos obedecer nossos pais no Senhor, ou seja, a vontade dos pais deve ser a mesma de Deus, para que os filhos os possam obedecer. É a autoridade que vem de Deus, o amor que vem de Deus, que faz com que os filhos obedeçam aos pais, assim como nós obedecemos a Deus como nosso Pai celestial. Não é porque um pai é mais capaz do que o outro, e por isso seu filho o obedece. Não, de maneira nenhuma, pois tudo o que temos e somos pertence ao Senhor. Por isso é Deus quem nos capacita para fazermos nossos filhos nos obedecerem. Sozinhos não podemos fazer isso, porque é o amor de Jesus que converte o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais (Ml 4:6).

Continuando a leitura deste trecho da palavra vemos que Deus nos diz que devemos honrar pai e mãe, para que possamos viver bem e por muito tempo nesta terra. A palavra diz que a rebelião é como o pecado de feitiçaria (1Sm 15:23). Então vemos o quanto é importante a obediência, para que o pecado não encontre lugar em nossas vidas. Mais uma vez vemos a mão de Deus sobre nós, porque se honramos ao nosso Senhor, então somos perfeitamente capazes de honrarmos pai e mãe e tudo quanto o Senhor nos entregar. Porque assim como tudo lhe pertence e Ele nos tem entregado, também nos dá pai e mãe, que como uma benção de Deus, devem ser respeitados. Quando nós obedecemos à lei de Deus, e caminhamos em seus caminhos, os nossos dias são prolongados nesta terra, pois agradamos ao Senhor.

Bom, esta parte da lei de Deus a maioria das pessoas já conhece, porém, o que vem a seguir é muito revelador. A palavra diz ainda: E vós, pais, não provoquei à ira a vossos filhos, mas criai-os na disciplina e instrução do Senhor. Novamente aqui é destacada a necessidade do caminhar dos pais diante de Deus. Muitas vezes, como pais, desejamos que nossos filhos nos obedeçam a todo custo, e por isso, sem a sabedoria de Deus, podemos causar a ira. Como na ira não opera a justiça de Deus (Tg 1:20), é óbvio que o que é justo diante do Senhor (que é respeitar pai e mãe) não será cumprido nesta situação. A autoridade de Deus não vem do homem, da carne, mas do Espírito. Por isso para que os filhos nos obedeçam não é necessário gritar, e usar de palavras rudes, mas tão somente é necessário o amor de Deus. Da mesma forma que Deus nos corrige, porque nos ama (Hb 12:6), os pais também devem corrigir os seus filhos em amor.

A palavra ainda complementa explicando porque não devemos causar ira em nossos filhos dizendo: não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo. É muito claro que ninguém gosta de ser corrigido, mas existem muitas maneiras de ser corrigido, E ENSINADO, sem que o propósito se perca. Quando somos humilhados, insultados, naturalmente não conseguimos enxergar o nosso erro, porque a dor é tão grande que a nossa visão fica embaçada. Por isso desta forma não há crescimento, e ainda por cima se perde o amor.

Por isso, como pais, não devemos irritar os nossos filhos com palavras sem sabedoria, sem amor, para que eles não venham desanimar em prosseguir, pois o caminho é cheio de obstáculos mesmo, e desta forma estas vidas venham a se perder por responsabilidade nossa.

É responsabilidade dos pais educarem seus filhos no Senhor, mas como é possível fazermos isso se não conhecermos as leis de Deus? E como os filhos obedecerão aos pais se estes não lhes ensinarem o que é certo perante o Senhor? A palavra de Deus diz que “... não devem os filhos entesourar para os pais, mas os pais para os filhos” (2Cor 12:14). Por isso os pais não devem cobrar dos filhos o que eles mesmos não fazem, não conhecem e não ensinam, pois desta forma não haverá autoridade e sim ira.

Todos temos responsabilidades diante de Deus, e os filhos são uma herança que Ele nos dá, são uma benção, um presente, e como tal devem ser criados. Os filhos foram enviados por Deus e para servirem a Ele é que os pais devem educá-los. A palavra diz “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim, não é digno de mim; quem ama o filho ou a filha mais do que a mim, não é digno de mim.” (Mt 10:37). Esta é uma palavra que não devemos nos esquecer, e ela quer dizer que Deus deve estar acima de todas as coisas, no centro de todas as coisas, ser o objetivo de todas as coisas. Se tudo não for direcionado por Deus, então nada prosperará. Não é um amor enorme por nossos pais, ou por nossos filhos, que vai fazê-los melhor, mas sim o amor de Deus por nós, e em nós, que fará toda a diferença.

Por isso tomemos para nós mais um ensinamento, e que esta palavra fique guardada em nossos corações:

“E tudo o que fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens.” (Cl 3:23)

Nenhum comentário:

Postar um comentário