quinta-feira, 31 de março de 2011

Não Olho Circunstâncias

Esta paz que eu sinto em minha alma
Não é porque tudo me vai bem.
Esta paz que eu sinto em minha alma,
É porque eu a quem me é fiel!

Não olho circunstâncias,
Não, não, não, olho o seu amor
Não me guio por vistas, alegre vou!
Este gozo que eu sinto em minha alma,
Não é porque tudo me vai bem!

Este gozo que eu sinto em minha alma,
É porque eu sirvo a quem me é fiel!

Não olho circunstâncias,
Não, não, não, olho o seu amor
Não me guio por vistas, alegre vou!

E ainda que a terra não floresça,
E a vide não dê o seu fruto.
E ainda que os montes se lancem ao mar,
E a terra trema, eu hei de confiar!

Não olho circunstâncias,
Não, não, não, olho o seu amor
Não me guio por vistas, alegre vou!


Nenhum comentário:

Postar um comentário