quarta-feira, 13 de abril de 2011

O Fim do Circo de Horrores

Grande parte das pregações dos nossos dias se tornaram um grande circo de horror. Muitas vezes nos sentimos sujos só de ouvir o que as pessoas falam a respeito de Deus. Como precisávamos hoje da ênfase de Martinho Lutero na Palavra Externa.

Muitas doutrinas foram trazidas de volta  ao lugar que sempre deveriam estar na Reforma – Justificação por Fé, a Soberania Divina... Mas aquilo do qual tudo isso dependeu foi essa ênfase de que a Palavra de Deus chega até nós através de um Livro. Como apenas a restauração dessa verdade faria cessar grande parte das heresias. Sem essa ênfase, como acontecia com a Hidra da mitologia grega que ao ter cortada a sua cabeça nascia duas, a cada heresia atacada outras duas nascem. O único remédio possível é a restauração dessa verdade fundamental – A Palavra de Deus é Externa e está em um Livro.

Em seus decretos eternos Deus resolveu perpetuar a experiência de Salvação através da Verdade fixa – não dentro de nós – mas externa a nós – Um Livro. Só esse Livro revela a verdade do coração de Deus. Se nossa geração tivesse em seu coração essa verdade que reformou a igreja um dia – então, e só então poderíamos ver de novo o brilho da luz que mudou o mundo no século XVI.

Lutero disse – Não através do Bispo de Roma, de êxtases, de profetas contemporâneos – NÃO! – A Palavra de Deus vem até nós através de um  Livro – isso preparou Lutero para a Reforma – e não há outro caminho a não ser esse – qualquer outro é um caminhar cambaleante de desvios para desvios, de heresia para heresia.

Alberto Prieiras, um dos homens que a Igreja colocou para contender com Lutero, enfatizou, como hoje, dizia que a Bíblia era secundária, os líderes é que se tornaram fundamentais, pois eles tinham acesso direto a Deus e o Livro era secundário diante dessas revelações.

Um grande historiador disse: “O que é novo em Lutero é a noção da absoluta obediência as Escrituras contra quaisquer autoridade” – O que era novo e que há muito foi abandonado – é que o Livro estava infinitamente acima do homem que dissesse  ter a mais íntima relação com Deus. As mais profundas experiências de êxtases não eram nada e nem dignas de serem mencionadas diante do Livro.

As implicações disso são enormes e por isso elas abalaram a história da igreja. E se nossa geração há de sofrer um impacto real, terá que ser por essas mesmas implicações. Acontecerá hoje? Não sei. Afinal de contas, podemos dizer de maneira geral que a igreja ficou por quase mil e quinhentos anos com esses mestres do horror impondo algo subjetivo e falso sobre Deus. Ah! Mais eu oro, e como oro para que vejamos isso. Sempre houve remanescentes antes da Reforma – Deus sempre tem os seus – hoje também é assim, mas uma verdadeira Reforma, sobre isso oramos e esperamos.

Em 1539, Lutero comentando o Salmo 119 – O maior capítulo da Bíblia – uma declaração de amor inigualável a Palavra Escrita de Deus – diz Lutero: “neste Salmo Davi diz continuamente que irá falar, pensar, conversar, escutar, ler dia e noite e constantemente, nada além da Palavra e dos Mandamentos de Deus, pois Deus quer dar-lhe seu Espírito somente pela Palavra Externa” – O Espírito Santo vem a nós e nos fala diretamente pela Palavra de Deus, pela revelação de Deus através da Bíblia.

Lutero está dizendo que é fundamental você ver a Palavra de Deus como algo externo, fora do homem, objetiva e não subjetiva. Só sendo externa ela é objetiva e estável. Ele está fora de nós não podendo ser manipulado por nossos sentimentos, percepções... Muitas pessoas tem grandes dificuldades com Doutrinas claras porque tão somente se aproximam delas emocionalmente e não objetivamente. É por isso que a Palavra é Externa. O homem tão somente tem que ir a essa palavra humildemente e se alimentar com a Verdade absoluta que flui dela. Ou seja, se alimentar da mente de Deus e não de algo subjetivo em si mesmo. Ela é externa – não pode ser influenciada por nossos sentimentos, percepções, ou nossa suposta espiritualidade – é imutável – É um Livro selado. Não a igreja, nem os homens que se denominam grandes, ou nossos êxtases particulares, sentimentos, percepções... Não! A Palavra é externa a nós. Como Deus está acima da sua criação (da qual fazemos parte). Não é dentro que buscamos a Verdade – mas fora – num Livro – e por ele o Espírito nos liberta.

                                                                                          Sola Scriptura!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário