segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Centro de Reabilitação Cidade Viva


Documentário sobre o Centro de Reabilitação Cidade Viva


João 5.24





Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

1 Samuel 15



Samuel disse a Saul: "Eu sou aquele a quem o Senhor enviou para ungi-lo como rei de Israel, o povo dele; por isso escute agora a mensagem do Senhor.

Assim diz o Senhor dos Exércitos: ‘Castigarei os amalequitas pelo que fizeram a Israel, atacando-os quando saíam do Egito.

Agora vão, ataquem os amalequitas e consagrem ao SENHOR para destruição tudo o que lhes pertence. 
Não os poupem; matem homens, mulheres, crianças, recém-nascidos, bois, ovelhas, camelos e jumentos’ ".
Então convocou Saul os homens e os reuniu em Telaim: duzentos mil soldados de infantaria e dez mil homens de Judá.

Saul foi à cidade de Amaleque e armou uma emboscada no vale.

Então disse aos queneus: "Retirem-se, saiam do meio dos amalequitas para que eu não os destrua junto com eles; pois vocês foram bondosos com os israelitas, quando eles estavam vindo do Egito". Então os queneus saíram do meio dos amalequitas.
E Saul atacou os amalequitas por todo caminho desde Havilá até Sur, a leste do Egito.

Capturou vivo Agague, rei dos amalequitas, e exterminou o seu povo.

Mas Saul e o exército pouparam Agague e o melhor das ovelhas e dos bois, os bezerros gordos e os cordeiros. Pouparam tudo que era bom, mas a tudo que era desprezível e inútil destruíram por completo.

Então o Senhor falou a Samuel:

"Arrependo-me de ter constituído a Saul rei, pois ele me abandonou e não seguiu as minhas instruções". Samuel ficou irado e clamou ao Senhor toda aquela noite.

De madrugada Samuel foi ao encontro de Saul, mas lhe disseram: "Saul foi para o Carmelo, onde ergueu um monumento em sua própria honra e depois foi para Gilgal".

Quando Samuel o encontrou, Saul disse: "O Senhor o abençoe! Segui as instruções do Senhor".

Samuel, porém, perguntou: "Então que balido de ovelhas é esse que ouço com meus próprios ouvidos? Que mugido de bois é esse que estou ouvindo? "

Respondeu Saul: "Os soldados os trouxeram dos amalequitas; eles pouparam o melhor das ovelhas e dos bois para o sacrificarem ao Senhor seu Deus, mas destruímos totalmente o restante".

Samuel disse a Saul: "Fique quieto! Eu lhe direi o que o Senhor me falou esta noite". Respondeu Saul: "Diga-me".

E Samuel disse: "Embora pequeno aos seus próprios olhos, você não se tornou o líder das tribos de Israel? O Senhor o ungiu como rei sobre Israel

e o enviou numa missão, ordenando: ‘Vá e destrua completamente aquele povo ímpio, os amalequitas; guerreie contra eles, até que os tenha eliminado’.

Por que você não obedeceu ao Senhor? Por que se lançou sobre os despojos e fez o que o Senhor reprova? "

Disse Saul: "Mas eu obedeci ao Senhor! Cumpri a missão que o Senhor me designou. Trouxe Agague, o rei dos amalequitas, mas exterminei os amalequitas.

Os soldados tomaram ovelhas e bois do despojo, o melhor do que estava consagrado a Deus para destruição, a fim de os sacrificarem ao Senhor seu Deus, em Gilgal".

Samuel, porém, respondeu: "Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? A obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros.

Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do Senhor, ele o rejeitou como rei".

"Pequei", disse Saul. "Violei a ordem do Senhor e as instruções que você me deu. Tive medo dos soldados e lhes atendi.

Agora eu lhe imploro, perdoe o meu pecado e volte comigo, para que eu adore o Senhor".
Samuel, contudo, lhe disse: "Não voltarei com você. Você rejeitou a palavra do Senhor, e o Senhor o rejeitou como rei de Israel! "

Quando Samuel se virou para sair, Saul agarrou-se à barra do manto dele, e o manto se rasgou.

E Samuel lhe disse: "O Senhor rasgou de você, hoje, o reino de Israel, e o entregou a alguém que é melhor que você.

Aquele que é a Glória de Israel não mente nem se arrepende, pois não é homem para se arrepender".

Saul repetiu: "Pequei. Agora, honra-me perante as autoridades do meu povo e perante Israel; volte comigo, para que eu possa adorar o Senhor seu Deus".

E assim Samuel voltou com ele, e Saul adorou o Senhor.

Então Samuel disse: "Traga-me Agague, o rei dos amalequitas". Agague veio confiante, pensando: "Com certeza já passou a amargura da morte".

Samuel, porém, disse: "Assim como a sua espada deixou mulheres sem filhos, também sua mãe ficará sem o seu filho, entre as mulheres". E Samuel despedaçou Agague perante o Senhor, em Gilgal.

Então Samuel partiu para Ramá, e Saul foi para sua casa, em Gibeá de Saul.

Nunca mais Samuel viu a Saul, até o dia de sua morte, embora se entristecesse por causa dele porque o Senhor arrependeu-se de ter estabelecido Saul como rei de Israel.

1 Samuel 15.22-23


Samuel, porém, respondeu: "Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? A obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros.

Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria. Assim como você rejeitou a palavra do Senhor, ele o rejeitou como rei".


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

2012 - Antes que o tempo acabe - Parte II - Vencendo o inimigo







Texto Base:  2 Tessalonicenses 2

Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reencontro com ele, rogamos a vocês
que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o dia do Senhor já tivesse chegado.
Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição.
Este se opõe e se exalta acima de tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, a ponto de se assentar no santuário de Deus, proclamando que ele mesmo é Deus.
Não se lembram de que quando eu ainda estava com vocês costumava lhes falar essas coisas?
E agora vocês sabem o que o está detendo, para que ele seja revelado no seu devido tempo.
A verdade é que o mistério da iniqüidade já está em ação, restando apenas que seja afastado aquele que agora o detém.
Então será revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda.
A vinda desse perverso é segundo a ação de Satanás, com todo o poder, com sinais e com maravilhas enganadoras.
Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar.
Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira,
e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.
Mas nós, devemos sempre dar graças a Deus por vocês, irmãos amados pelo Senhor, porque desde o princípio Deus os escolheu para serem salvos mediante a obra santificadora do Espírito e a fé na verdade.
Ele os chamou para isso por meio de nosso evangelho, a fim de tomarem posse da glória de nosso Senhor Jesus Cristo.
Portanto, irmãos, permaneçam firmes e apeguem-se às tradições que lhes foram ensinadas, quer de viva voz, quer por carta nossa.
Que o próprio Senhor Jesus Cristo e Deus nosso Pai, que nos amou e nos deu eterna consolação e boa esperança pela graça,
dê ânimo aos seus corações e os fortaleça para fazerem sempre o bem, tanto em atos como em palavras.


Culto Domingo 14 08 11



domingo, 21 de agosto de 2011

2012 - Antes que o tempo acabe - Parte 1: Mitos e Verdades





Texto--Base: Atos 2:42-47

"A graça nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo" 
Tito 2:12-13

Sérgio Queiroz - 07/08/2011




Salmos 138





Eu te louvarei, Senhor, de todo o coração; diante dos deuses cantarei louvores a ti.

Voltado para o teu santo templo eu me prostrarei e renderei graças ao teu nome, por causa do teu amor e da tua fidelidade; pois exaltaste acima de todas as coisas o teu nome e a tua palavra.

Quando clamei, tu me respondeste; deste-me força e coragem.

Todos os reis da terra te renderão graças, Senhor, pois saberão das tuas promessas.

Celebrarão os feitos do Senhor, pois grande é a glória do Senhor!

Embora esteja nas alturas, o Senhor olha para os humildes, e de longe reconhece os arrogantes.

Ainda que eu passe por angústias, tu me preservas a vida da ira dos meus inimigos; estendes a tua mão direita e me livras.

O Senhor cumprirá o seu propósito para comigo! Teu amor, Senhor, permanece para sempre; não abandones as obras das tuas mãos!


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A história de “Mestre, O Mar se Revolta” | The story of “Master, the tempest is raging!”




Mestre, o Mar se Revolta

Letra: Mary Ann Baker
Música: Horatio R. Palmer

Mary Ann Baker, a autora deste lindo hino nasceu em 16 de setembro de 1831. A tuberculose ceifou a vida dos seus pais e deixou-a órfã em tenra idade. Moravam em Chicago com a irmã e o irmão. Esse, um moço de excepcionais qualidades de caráter, começou a sofrer efeitos desta terrível doença. Das suas escassas economias, as duas irmãs conseguiram recursos para que ele viajasse à Flórida, na esperança de que no clima mais ameno começasse a melhoria. Não lhes foi possível acompanha-lo. “Tudo em vão. Em poucas semanas o mal se agravou e o rapaz faleceu, longe do aconchego da família.” Não havia dinheiro para as irmãs irem ao seu enterro, nem para transportar o seu corpo para Chicago. Mary escreveu sobre esta experiência assoladora:

“Embora nosso choro não fosse ‘como outros que não têm esperança’ e embora tivesse crido em Cristo desde menina e desejasse sempre viver uma vida consagrada e obediente, tornei-me terrivelmente rebelde a esse desígnio da divina providência. Disse no meu coração que Deus não amava a mim, nem aos meus. Mas a própria voz do meu Mestre veio aclamar a tempestade no meu coração rebelde e me trouxe a calma de uma fé mais profunda e uma confiança mais perfeita.”

Foi logo depois desta maçante experiência que o Dr. Horatio Palmer solicitou a Mary Ann o preparo de um grupo de hinos sobre os assuntos das lições da Escola Bíblica da sua igreja Batista. “Um dos temas era Cristo Acalmando a Tempestade. Esta lição expressou tão vividamente a minha experiência, que este hino foi o resultado”

Nas palavras da inigualável hinóloga Henriqueta “Rosinha” Braga, a experiência de Mary Ann não apenas permitiu-lhe narrar com felicidade a passagem bíblica; mais do que isto, capacitou-a a expressar a profunda fé na atuação do Mestre, quando estamos prestes a submergir nas dificuldades, tristezas e impasses em que a vida nos enreda.

Imediatamente, o próprio Dr. Palmer escreveu a música para o hino, que tem beneficiado a muitos com a sua mensagem de fé. Publicou-o na sua coletânea Songs of Love for the Bible School(Cânticos de Amor para a Escola Bíblica), em 1874.

Depois disto, Mary Ann se empenhou de corpo e alma à União de Mulheres Cristãs Pela Temperança. Neste ministério teve oportunidade de observar, bem de perto, o sofrimento de irmãs, esposas e mães de alcoólatras cujas vidas naufragaram pelo degradante vício de beber. Depois de chorar com muitas destas mulheres ao lado da sepultura destes seus entes queridos, ela testificou: “Tenho chegado a sentir gratidão pelas doces memórias do meu irmão. O caminho de Deus é o melhor”.

Ao saber que seu hino também estava sendo uma grande benção em outros países. Mary Ann Baker disse: “Me surpreende muito que este humilde hino tenha atravessado os mares e sido cantado em terras bem distantes para a honra do nome do meu Salvador”.

Este hino logo foi incluído em outras coletâneas, Nos Estados Unidos, tornou-se tão amado que, em 1881, quando o Presidente Garfield foi baleado, ficou entre a vida e a morte, e finalmente morreu, este hino foi usado repetidamente em cultos em sua homenagem. Foi neste ano que a autora também faleceu.

Sankey incluiu este hino em Sacred Songs and Solos (Cânticos e Solos Sacros-1881), que o difundiu ao redor do mundo. Provavelmente foi deste hinário que o saudoso missionário William Edwin Entzminger o traduziu para o português em 1903 e o incluiu no Cantor Cristão. Esta bela tradução, muito fiel à leta original, fez com que o hino se tornasse um dos favoritos dos evangélicos brasileiros.

O Pedagogo musical Horatio Richmond Palmer nasceu em Sherburne, Estado de Nova Iorque, em 26 de abril de 1834. Pertencia a uma família de músicos, sendo seu pai e sua tia seus primeiros professores. Desde os nove anos cantou no coro do pai. Aos dezoito, começou a compor. Formou-se pela Academia de Música Rushford em Chicago e aos vinte anos tornou-se seu diretor. Serviu, ao mesmo tempo, como organista e regente coral da Igreja Batista de Rushford. Além de fazer o doutorado em Música pela Universidade de Chicago, estudou Música em Berlim e Florença.

Estabelecendo-se em Chicago depois da Guerra Civil, o Dr. Palmer tornou-se músico de renome. Editou jornais de música, escreveu livros, dirigiu festivais e convenções de música com grande sucesso. Organizou a União Coral Sacra, dando concertos com milhares de cantores. Num concerto no afamado Madison Square Guarden em Nova Iorque, regeu 4.000 coristas. De 1877 a 1891, foi o Deão da Escola de música de Verão do famoso centro de retiros Chautauqua (Nova Iorque). Publicou coletâneas muito parecidas como The Song Queen (A Rainha dos Cânticos), The Song King (O Rei dos Cânticos), The Song Herald (O Arauto dos Cânticos) e Concert Choruses (Músicas Corais de Concerto), além de livros didáticos sobre música. Palmer faleceu em 15 de novembro de 1907, em Yonkers, Estado de Nova Iorque.

——-

Bibliografia: Rufin, Bernad, Fanny Crosby, Philadelphia, PA, United Church Press, 1976, p. 30.

Master, the tempest is raging!

Master, the tempest is raging!
The billows are tossing high!
The sky is o’ershadow with blackness,
No shelter or help is nigh;
Carest Thou not that we perish?
How canst Thou lie asleep,
When each moment so madly is threatening
A grave in the angry deep?

Refrain

The winds and the waves shall obey Thy will,
Peace, be still!
Whether the wrath of the storm tossed sea,
Or demons or men, or whatever it be
No waters can swallow the ship where lies
The Master of ocean, and earth, and skies;
They all shall sweetly obey Thy will,
Peace, be still! Peace, be still!
They all shall sweetly obey Thy will,
Peace, peace, be still!

Master, with anguish of spirit
I bow in my grief today;
The depths of my sad heart are troubled
Oh, waken and save, I pray!
Torrents of sin and of anguish
Sweep o’er my sinking soul;
And I perish! I perish! dear Master
Oh, hasten, and take control.

Master, the terror is over,
The elements sweetly rest;
Earth’s sun in the calm lake is mirrored,
And heaven’s within my breast;
Linger, O blessèd Redeemer!
Leave me alone no more;
And with joy I shall make the blest harbor,
And rest on the blissful shore.


Mestre, o Mar Se Revolta






Mestre, o mar se revolta
As ondas nos dão pavor:
O céu se reveste de trevas:
Não temos um Salvador!
Não se te dá que morramos?
Podes assim dormir.
Se a cada momento nos vemos,
Sim, prestes a submergir?


- "As ondas atendem ao meu mandar:
Sossegai!
Seja o encapelado mar
A ira dos homens, o gênio do mal:
Tais águas não podem a nau tragar,
Que leva o Senhor, Rei do Céu e mar,
Pois todos ouvem o meu mandar:
Sossegai! - sossegai!
Convosco estou para vos salvar:
Sim, sossegai!"


- Mestre, quão grande tristeza
me quer hoje consumir.
E a dor que perturba minha alma,
Te implora "Vem me acudir!"
De ondas do mal que me encobrem,
Quem me fará sair?
Pereço, pereço, oh Mestre
Te rogo: vem me acudir!


- Mestre, chegou a bonança,
Em paz vejo o céu e o mar!
O meu coração goza calma
Que não poderá findar.
Fica comigo, oh! meu Mestre,
Dono da Terra e Céu,
E assim chegarei bem seguro
Ao porto, destino meu.









terça-feira, 16 de agosto de 2011

Days of Elijah - Dias de Elias



These are the days of Elijah,
Estes são os dias de Elias,
Declaring the word of the Lord:
Pregando a palavra de Deus.
And these are the days of Your servant Moses,
E estes são os dias de Moisés,
Righteousness being restored.
Justiça reinando outra vez.
And though these are days of great trial,
E estes são os dias de hoje,
Of famine and darkness and sword,
o mundo vive em escravidão
Still, we are the voice in the desert crying
Mas nós somos os pregadores,
'Prepare ye the way of the Lord!' 
anunciando a volta do rei

Behold He comes riding on the clouds,
Ele vem, brilhando como o sol
Shining like the sun at the trumpet call;
Voando sobre as nuvens a trombeta eu posso ouvir
Lift your voice, it's the year of jubilee,
E um grande coral cantando uma canção
And out of Zion's hill salvation comes. 
Dizendo que já vem A salvação

These are the days of Ezekiel,
Estes são os dias de Ezequiel,
The dry bones becoming as flesh;
os ossos voltaram a viver.
And these are the days of Your servant David,
E estes são os dias de Davi,
Rebuilding a temple of praise.
erguendo um templo de louvor.
These are the days of the harvest,
E estes são os dias da ceifa,
The fields are as white in Your world,
os campos já brancos estão .
And we are the labourers in Your vineyard,
E nós somos os trabalhadores
Declaring the word of the Lord! 
realizando a colheita final.

There's no God like Jehovah.
Não há Deus como Jeová .
There's no God like Jehovah! 
Não há Deus como Jeová .











































Combien Dieu est grand






Le roi dans sa beauté, vêtu de majesté
La Terre est dans la joie
La Terre est dans la joie
Sa gloire resplendit, l'obscurité s'enfuit
Au son de sa voix
Au son de sa voix

Combien Dieu est grand, chantons-le
Combien Dieu est grand, et tous verront
Combien, combien Dieu est grand

D'en âge en âge il vit
Le temps lui est soumis
Commencement et fin
Commencement et fin

Céleste trinité
Dieu d'éternité
Il est l'agneau divin
Il est l'agneau divin

Combien Dieu est grand, chantons-le
Combien Dieu est grand, et tous verront
Combien, combien Dieu est grand

Son nom est tout-puissant
Digne de louange
Je chanterai

Combien Dieu est grand
Combien Dieu est grand, chantons-le
Combien Dieu est grand, et tous verront
Combien, combien Dieu est grand (2x)




Dieu Tout Puissant


Dieu tout-puissant quand mon coeur considère

Tout l'univers créé par Ton pouvoir

Le ciel d'azur, les éclairs, le tonnerre

Le clair matin ou les ombres du soir.

De tout mon être alors s'élève un chant,

"Dieu tout-puissant que Tu es grand"



Quand par les bois, ou la forêt profonde

J'erre et j'entends tous les oiseaux chanter,

Quand sur les monts, la source avec son onde,

Livre au zéphyr son chant doux et léger...

Mon coeur heureux, s'écrie à chaque instant:

"Ô Dieu d'amour, que Tu es grand"



Mais quand je songe, ô sublime mystère!

Qu'un Dieu si grand a pu penser à moi;

Que son cher Fils est devenu mon frère,

Et que je suis l'héritier du grand Roi...

Alors mon coeur redit, la nuit, le jour:

"Que Tu es bon, ô Dieu d'amour!"








Il est saint (Holy Holy Holy)




J'élèverai ma voix pour chanter que Dieu est Saint
Saint, saint, saint, saint
A toi Seigneur de ma vie, à mon sauveur et mon roi
Tu es saint
Saint, saint, saint, saint


Oui je bénirai l'agneau assis sur le trône
Il est, il était et il revient
Toute la gloire à sa majesté
A jamais, A jamais


Les anges élèvent l'agneau
Et ils se prosternent
Et ils chantent
Saint, saint, saint, saint
Vous tous bien aimés du Roi
Louons son saint nom
Et crions
Saint, saint, saint, saint


Oui je bénirai l'agneau assis sur le trône
Il est, il était et il revient
Toute la gloire à sa majesté
A jamais, A jamais

PERE JE T'ADORE




Tu es le Dieu de ma vie
En toi j'ai trouvé le salut
Reçois oh Dieu l'adoration
D'un cœur que tu as sauvé
Je veux T'adorer
Oh, je veux T'adorer
Je veux T'adorer


Père nous T'adorons
Père nous T'adorons
Père nous T'adorons
oh oh oh Père nous T'adorons


REFRAIN:
Père nous T'adorons
Père nous T'adorons
Père nous T'adorons
Père nous T'adorons


Tu es le Roi des rois
ohohoh
Tu es le Seigneur des seigneur
Et Tu es digne d'être acclamé
oh oh Jésus nous T'acclamons
Nous T'acclamons (Seigneur nous T'acclamons, nous T'acclamons)


REFRAIN:. 
Père nous T'acclamons x4 (Seigneur nous T'acclamons)
Père nous T'acclamonsx3
Père nous t'acclamons x4 
Acclamons le Père, acclamons le fils, 
Acclamons le Saint-Esprit. Il est digne d'acclamation,
Le Dieu au dessus de tout
Celui qui fait des merveilles dans nos vies
Acclames-le encore plus fort
Alléluia oh alléluia, Seigneur
Merci pour Ta fidélité, merci pour Ta bonté
Seigneur merci pour Ton amour....
Oh, alléluia. 
Oui Seigneur, Tu fais de grande choses dans nos vies


Approchons nous du Père, ouvrons nos cœurs
Et contemplons Sa sainte face
Je voudrais t'inviter maintenant, à te tenir humblement et à prier.
Oui maintenant approches toi de ton Père, 
C'est ton créateur, 
Il est prêt à te remplir de sa vie soit sincère
Viens maintenant approches toi, à ces pieds humilies toi.


sábado, 13 de agosto de 2011

CARTA DE UM PAI AO FILHO





Amado Filho,


O dia em que este velho já não for o mesmo, tenha paciência e me compreenda.
Quando eu derramar comida sobre minha camisa e esquecer como amarrar meus sapatos, tenha paciência comigo e se lembre das horas que passei te ensinando a fazer as mesmas coisas.
Se quando conversa comigo, repito e repito as mesmas palavras e sabes de sobra como termina, não me interrompas e me escute. 


Quando era pequeno, para que dormisse, tive que contar-lhe milhares de vezes a mesma estória até que fechasse os olhinhos.
Quando estivermos reunidos e, sem querer, fizer minhas necessidades, não fique com vergonha e compreenda que não tenho a culpo disto, pois já não as posso controlar. Pensa quantas vezes quando menino te ajudei e estive pacientemente a seu lado esperando que terminasse o que estava fazendo.


Não me reproves porque não queira tomar banho; não me chames a atenção por isto. Lembre-se dos momentos que te persegui e os mil pretextos que tive que inventar para tornar mais agradável o seu banho.
Quando me vejas inútil e ignorante na frente de todas as coisas tecnológicas que já não poderei entender, te suplico que me dê todo o tempo que seja necessário para não me machucar com o seu sorriso sarcástico. 
Lembre-se que fui eu quem te ensinou tantas coisas.
Comer, se vestir e como enfrentar a vida tão bem com o faz, são produto de meu esforço e perseverança.


Quando em algum momento, enquanto conversamos, eu chegue a me esquecer do que  estávamos falando, me dê todo o tempo que seja necessário até que eu me lembre, e se não posso fazê-lo não fique impaciente; talvez não fosse importante o  que falava e a única coisa  que queria era estar contigo e que me escutasse nesse momento.
Se alguma vez já não quero comer, não insistas. Sei quando posso e quando não devo.
Também compreenda que, com o tempo, já não tenho dentes para morder, nem gosto para sentir.
Quando minhas pernas falharem por estarem cansadas para andar, dá-me sua mão terna para me apoiar, como eu o fiz quando começou a caminhar com suas fracas perninhas.


Por último, quando algum dia me ouvir dizer que já não quero viver e só quero morrer, não te enfades. Algum dia entenderás que isto não tem a ver com seu carinho ou o quanto te amei.
Trate de compreender que já não vivo, senão que sobrevivo, e isto não é viver.
Sempre quis o melhor para você e preparei os caminhos que deve  percorrer.
Então pense que com este passo que me adianto a dar, estarei construindo para você outra rota em outro tempo, porém sempre contigo.
Não se sinta triste, enojado ou impotente por me ver assim. Dá-me seu coração, compreenda-me e me apóie como o fiz quando começaste a viver.
Da mesma maneira que te acompanhei em seu caminho, te peço que me acompanhe para terminar o meu.
Dê-me amor e paciência, que te devolverei gratidão e sorrisos com o imenso amor que tenho por você.
Atenciosamente,
Teu Velho




sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Os dentes dos filhos x dentes dos pais






“Naqueles dias não dirão mais: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que embotaram? Pelo contrário, cada um morrerá por sua própria iniqüidade; os dentes de todo aquele que comer uvas verdes é que se embotarão” – Jeremias 31.19-30 (Almeida Século 21)

Ávidos por novidades, buscando destaque e atenção pelo inusitado, pregadores criaram uma doutrina que o cristianismo, em dois mil anos, nunca suspeitou haver: maldição hereditária. Aliás, o que tem de gente reinventando o evangelho é terrível. Como a competição é grande, as idéias mais esdrúxulas aparecem. Com esta, a pessoa, mesmo convertida, carrega uma maldição proferida por alguém, e precisa de uma reza forte para quebrar a maldição. O sangue de Jesus perdeu o poder, ou só funciona quando manipulado por alguém…

Deus diz que haveria um tempo em que ninguém sofreria a ação dos antepassados. Se os pais chupassem uvas verdes, os dentes dos filhos não embotariam. Os dentes dos pais, sim. Os dos filhos, que não chuparam, não. Quando seria isto? Logo a seguir, após esta declaração, Deus anuncia a nova aliança (Jr 31.31-34), a que faria por meio de Jesus Cristo (Mt 26.28). Na nova aliança, a responsabilidade é pessoal. Pai não transfere culpa, filho não herda culpa.

Deus repetiu isto por Ezequiel: “Que quereis vós dizer, citando na terra de Israel este provérbio: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram? Vivo eu, diz o Senhor Deus, não se vos permite mais usar deste provérbio em Israel. Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.” (Ez 18.2-4). O título do capítulo 18 de Ezequiel é “A responsabilidade é pessoal”

Não há salvação hereditária. Não há condenação hereditária. Não há maldição hereditária. Não há bênção hereditária. Cada pessoa  responde por si, diante de Deus. E não faz sentido o Cristo de alguns, tão fraco que sua obra não tem poder de cancelar maldições na vida da pessoa. Vemos uma incongruência hoje: um Cristo fraco e demônios fortes. A obra de Cristo é incompleta sem a oração do pastor. É ele quem quebra as maldições.

Quem está em Cristo é nova criatura (2Co 5.17). Seu passado morreu. O seguidor de Jesus não tem passado. O sangue de Jesus o aboliu! Saudades do tempo em que, ao invés de só cantar “Quero te louvar!”, cantávamos hinos com substância, como “O sangue de Jesus me lavou, me lavou…” e “Há poder, sim, força sem igual. Só no sangue de Jesus!”. Cantávamos o poder de Jesus. Quando alguém se converte, o sangue de Jesus o cobre, perdoa e elimina seu passado, dá-lhe nova vida. Pouco importa o poder de Satanás, seus asseclas e a força de suas maldições. O crente tem Jesus! E como diz 1João 4.4: “Filhinhos, vós sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”. Sou habitação da Trindade e ela é maior que Satanás.

O que meu pai fez, não importa. O que meu avô fez, não importa. Importa o que eu faço. Como uso minha vida e como me porto diante de Deus. E conto com a ajuda do Espírito Santo para saber que chupar uvas verdes faz mal aos meus dentes. Se meus antepassados chuparam, o problema foi deles. Não caiu sobre mim. Se, desafortunadamente, eu as chupar, meus dentes sofrerão. Mas os de meus filhos, não.

O evangelho deixa claro: Cada um de nós responde por si diante de Deus. Cuide dos seus dentes. Não chupe uvas verdes e não culpe os seus pais pelos seus dentes embotados.

Pr Isaltino Gomes Coelho


Salmos 1 – Uma Exegese



Introdução
Os hebreus conheciam bem os cânticos contidos no livro de Salmos, no hebraico é “Tehilim” (louvores). Na versão dos setenta passaram a ser chamados “Salmos”, por serem cantados ao som de um instrumento que os gregos chamavam de “saltério”.
Os salmos eram cânticos especiais para os dias ou ocasiões festivos, de vitórias, e muitos também deles tratam de situações adversas, como a “prosperidade dos ímpios”.
O salmo 1º enfoca uma benção que é dada a um servo por seu comportamento adequado e seu amor a “torá” [lei] do Senhor.
1. O Bem Aventurado
No hebraico temos ?????????= ‘Ashrey – que significa: Bem aventurado, feliz, ditoso. Aqui temos algo importante, este homem será bem aventurado, se cumprir as seguintes três coisas que o salmista enumera.
2. Os Três Não
2.1 – Não andar
O verbo usado aqui no hebraico é ?????? = halakh – que significa – “ir, caminhar, andar/passar. Este verbo, bem como os outros dois que o seguem estão no passado, logo a tradução ficaria:
“Bem aventurado aquele que não andou….”
2.2 – Não deter-se
O verbo usado aqui é ?????= ‘amad = que signifca = “parar, estacionar-se/deter-se/
O tempo conforme mostramos acima está no pretérito, levando para uma ação já concluída.
2.3 – Não assentar-se
Temos o verbo hebraico ??????? = Yashav = que significa ” sentar-se, permanecer, habitar”
O tempo do verbo é o mesmo mencionado acima [pretérito].
A tradução ficaria assim: ” Bem aventurado aquele homem que não assentou-se”
3. Os Três Perigos
3.1 – O conselho dos ímpios
Aqui temos o vocábulo hebraico ????? = ats’at = que significa = “conselho, parecer”.
A palavra usada no hebraico para expressar ímpios é ????????? = reshaym = que vem do radical “rashe’a” – que dá a idéia de “condenar-se, ser mal”. Portanto, podemos afirmar que o ímpio para o hebreu era aquele que se condenava em algo, mesmo sabendo que aquilo que ele fazia era errado.
O conselho dos ímpios fala da comunhão com o mundo, com as “trevas”, com aqueles que conscientemente caminham para a perdição.
3.2 – O caminho dos pecadores
No hebraico temos o vocábulo ??????? = hatâ = que vem do verbo da mesma grafia que significa “pecar, errar”.
Quando o salmista refere-se ao “caminho dos pecadores” cremos que ele tem em mente o caminho daqueles que estão em erro ou errados, ou seja, estão em pecado. Eles estão desviados do alvo, que é o termo teológico para a definição de pecado. Devemos tomar o cuidado para não parar ou estacionar neste caminho.
3.3 – A roda dos escarnecedores
No original temos os seguintes vocábulos :
a) ??????? = moshav = que significa “assento, vila”
b) ?????? = letsym = que significa “frívolos, “palhaços”, perversos.
No orginal dá a seguinte idéia: “estão escarnecendo, estão sendo frívolos”.
Frívolo quer dizer “sem importância, sem valor”. São estes que zombam do evangelho, da igreja, da Palavra de Deus.
4. Duas características do servo
4.1 – O seu prazer
A palavra hebraica usada aqui é ?????? = heféts = que significa “desejo, anelo”.
O verso diz: “O seu desejo está na lei do Senhor”.
O maior prazer que o judeu fiel tinha era estar junto de sua “Toráh”. Uma das primeiras coisas que uma criança judia aprendia a falar era o “Shemá” : “Shemá Ysrael, Adonay Elocheinu, Adonay echad” (Dt 6.3). Os pais quando estavam ensinando a “torá” para seus filhos, e eles aprendiam, os pais davam mel para eles. Desse modo, eles associavam que a Palavra do Eterno era doce como o mel (Sl 119.103). Assim eles tinham prazer em aprenderem a lei do Senhor.
4.2 – O meditar
O verbo hebraico aqui é ?????? = hagah = que significa “falar, expressar, pensar, meditar”
O texto diz: “… E na lei do Senhor medita dia e noite”. É notável percebermos o sentido amplo deste verbo que nos auxilia nesta exegese.
O salmista está afirmando que Deus prova e abençoa o servo que medita (exame interior), fala, pensa, estuda a sua Palavra de dia e noite. A expressão dia e noite além de especificar um tempo, pode também caracterizar tipologicamente, luta e vitória. Todavia, só será abençoado o servo que meditar nas lutas quanto na vitória, na Palavra do Senhor.
5. Os Dois Exemplos
5.1 O exemplo do servo justo

>I) Uma árvore
a) plantada – O verbo no original está no particípio e entendemos que o Eterno é quem a plantou.
b) junto as correntes de água
A palavra hebraica para corrente é ??????? = peleg = que também pode significar ” facção, parte”.
Caro leitor [a], você já parou para pensar o que significa esta expressão: “plantada junto a ribeiros de águas”? Muitos pensam que o termo “águas” é uma alusão as Escrituras. Mas não é! Aqui se refere ao mundo [ sistema], e esta árvore [homem, mulher] foi plantada numa facção [à parte, separada] das águas [alusão ao mundo], ou seja, a Obra do Senhor [igreja] constitui-se uma facção, uma parte de homens e mulheres que tomaram outro rumo – seguir a Cristo! Aleluia! Estamos no mundo, mas não pertencemos a ele. Somos cidadãos de outro país!
c) dá o seu fruto, na estação própria
O verbo hebraico é ????? = natân = que significa “dar colocar”
Aqui vemos um retrato “perfeito” do servo do Senhor. O homem dirigido pelo Espírito Santo não dá fruto fora de hora, mas no tempo determinado, na estação própria.
d) cuja folha não cai
O verbo usado aqui é “navel” = que significa “murchar, fenecer,secar”. Além de ser uma árvore que só dá fruto na ocasião própria, o servo é também tipo de uma árvore duja folha não murcha ou seca. Isto implica em dizer que esta árvore não sente a mudança de tempo,uma vez que nesta época as árvores perdem as folhas e na Palestina, isto ocorria no início do inverno, sendo que a figueira ficava totalmente “nua de folhas”.
5.2 – O exemplo dos ímpios
I) A moinha
Esta palavra no hebraico é ???? = Mots = que significa “palha cortada em pedaços, escória de cereais, pragana”.
Se o ímpio é como a moinha, deduzimos que o ímpio é um ser leve, sem consciência espiritual, vazio, verdadeiro dejeto humano largado as suas próprias sortes.
A moinha segundo o dicionário é: Fragmentos miúdos de palha que ficam depois da debulha dos cereais.
b) o vento que espalha
O verbo hebraico aqui é “nadaf” = que significa “dispersar, espalhar”. O verbo está no futuro, indicando uma ação que ainda ocorrerá. A palavra vento no hebraico é a mesma usada para o Espírito = ??????? = Ruach = vento, sopro, Espírito.
6. Os Três Futuros
6.1 – O futuro do justo – “E tudo quando fizer prosperará”
O verbo hebraico usado aqui é “Tsalakh” = que significa “prosperar, triunfar, atravessar”
6.2 – O futuro do ímpio – “Não subsistirão no juízo”
No original traz o verbo ??? = kum = que quer dizer: “levantar-se, rebelar-se, resistir”
O ímpio não poderá ao menos se levantar no dia do juízo.
6.3 – O futuro do pecador – “Não subsistirão na congregação dos justos”
A palavra para congregação no hebraico é ????? = odat > e é oriunda do verbo que significa “adornar”.
O salmista está afirmando que os pecadores não comporão o adorno, jóia dos justos [ figura da salvação, promessas, dons etc]. Sendo assim, não serão reconhecidos pelo Senhor, e serão espalhados pelo horizonte afora.
7. Os Dois Caminhos
7.1 – O caminho do justo – “É conhecido pelo Senhor”
7.2 – O caminho do ímpio – “conduz à ruína”
O verbo usado no original é ????? = ‘avad = que equivale a “perder-se, errar, perecer, sumir”. Deste verbo deriva-se a palavra “Abadom” = destruição. Entendemos que o caminho do ímpio conduz a perdição e a destruição. Enquanto que o caminho dos justos é conhecido pelo Todo Poderoso.
Bibliografia : Calvino, João. Comentário de Salmos. Editora Fiel
Kidner, Derek. Comentário de Salmos. Edições Vida Nova
Centro de Cultura Bíblica Bereshit. Coleção: Salmos. Ano 2006. Prof. Pr. Hilmar S.E. Kaiser – Th.D, Ph.D